Júlia se torna CEO da Mitfokus ao enxergar uma dor em comum dos médicos.

Júlia se torna CEO da Mitfokus ao enxergar uma dor em comum dos médicos

Com tecnologia de ponta voltada para a área fiscal e financeira de negócios na área da saúde, a empresa hoje, com 6 anos de atuação, tem mais de 3 mil clientes em carteira

Júlia se torna CEO da Mitfokus: As mulheres são capazes de conciliar carreira, vida pessoal e família, desafiando estereótipos com força e equilíbrio. Optam por estar inclusive, em cargos de liderança. Prova disso é o número de mulheres diretoras-executivas (CEOs) que estão no comando de empresas brasileiras: 38%, segundo pesquisa da Grant Thornton, empresa global de auditoria, consultoria e tributos.

Em termos gerais, o país está um pouco acima da média global [32%] e da América Latina [35%], mostrando assim o poderio feminino e as boas expectativas de crescimento neste sentido. Uma prova dessa realidade está na história de uma mulher empresária, sócia fundadora de um negócio no ramo de tecnologia e contabilidade, que atende médicos de todo o país com o objetivo de evitar ralos financeiros e passivos tributários para pessoas físicas e jurídicas deste segmento.

O nome dela? Júlia Lázaro. Seu cargo? CEO da Mitfokus.

A trajetória profissional de Júlia Lázaro começou na faculdade, com o curso de Administração de Empresas na Universidade Estadual do Estado de São Paulo (Unesp). Com o diploma de bacharel em mãos, ela então continuou a estudar e se especializou em Economia pela FGV. Na sequência, obteve um MBA Internacional pela Universidade de Ohio/FGV. 

Casada com um médico, então, Júlia, que na época trabalhava na área financeira, começou a perceber, com seu próprio marido e com colegas que eram proprietários de clínicas ou consultórios, uma enorme dor, até então sem diagnóstico e sem remédio: a dificuldade em fazer e manter uma correta gestão financeira, contábil e tributária. A consequência disso eram empresas se desgastando em termos de imagem, trabalhos entregues com atraso, turnover (rotatividade de pessoal) e funcionários desmotivados, dificuldade em manter pacientes na carteira e excessivas horas destinadas a refazer trabalhos que foram realizados de maneira incorreta. Isso sem contar os tributos pagos a mais para os cofres públicos, as multas por entregar declarações e obrigações acessórias depois do prazo e as perdas financeiras em todos os departamentos. Foi aí que ela teve a ideia de unir o útil ao agradável: ajudar o próximo e empreender.

A primeira etapa foi organizar uma equipe de experts em contabilidade na área médica  para a empresa se tornar especializada no setor. Assim, Júlia se aliou ao Tiago Lázaro, economista com vasta experiência na área bancária; ao William Souza, consultor contábil; e ao João Teixeira, também administrador. Já a segunda etapa foi voltada a união de esforços para compreender ao máximo os recursos da tecnologia e do machine learning [aprendizado das máquinas], e assim entregar aos médicos uma solução de fácil acesso e uso, que simplificasse a vida financeira, contábil e tributária do usuário.

Deu certo: hoje a Mitfokus promove a saúde financeira de médicos de variados ramos de atuação e portes de empresas e ainda oferece a possibilidade de empréstimos, financiamento e antecipação de recebíveis. Em 6 anos de atuação, a empresa já tem em sua base mais de 3.000 profissionais, com expectativas de aumento de clientes na carteira, graças a parcerias sólidas, a incubação realizada pela Eretz.bio, do Hospital Albert Einstein em 2021 e ao investimento da Bossanova, em 2022.

Ao ser questionada se foi difícil começar a empreender nessa área, Júlia enfatiza que, por ter uma  bagagem na área financeira, o processo de adaptação não foi tão complicado, mas ela bem sabe que, infelizmente, hoje ainda existe muita desigualdade de gênero nesse meio.

Contudo, tal fato negativo é visto com positivismo pela CEO da Mitfokus, que teve outro insight para sanar essa dor: o de fomentar projetos na Mitfokus para desenvolvimento de vagas e até áreas específicas somente para as mulheres, incluindo a área de tecnologia, que ainda é soberanamente masculina. Em suas palavras, “trata-se de uma alternativa para buscar o equilíbrio e a igualdade no setor”.

Conheça também a história de William Souza, Head de Tecnologia da Mitfokus.

Deixe um comentário